Apocalipse 17

Revisado e corrigido em 04 Chodesh Hachamisshi / 5775 

               Entendendo Apocalipse 17

     Aprouve ao Eterno empregar múltiplos símbolos para representar os diversos reinos deste mundo, dentre eles destacamos os seguintes:

     * Dentre os símbolos acima citados, podemos observar que o Eterno empregou o de uma mulher para demonstrar aspectos específicos de Seu relacionamento com Israel, como também o empregou para destacar aspectos específicos de uma outra nação como podemos verificar a seguir:

Apocalipse 17:1

  • * Sendo o anjo que convidou João para conhecer a Grande Meretriz e seu julgamento um dos que tinha uma das sete taças dos últimos flagelos, concluimos que ao iniciar o julgamento da Grande Meretriz, o mundo estará sentindo as evidências desses flagelos.

Apocalipse 17:2

  • "Com quem se prostituíram os reis da terra, e os que nela habitam se embebedaram com o seu vinho". Considerando o termo 'reis da terra' como simbolizando nações, a grande meretriz é um poderoso reino que exerce grande autoridade sobre as demais nações e povos cujos hábitos e costumes foram corrompidos por sua influência.

Apocalipse 17:3

  • * Esta mulher, a Grande Meretriz, estava sentada sobre uma besta escarlate, repleta de nomes de blasfêmia, tendo sete cabeças e dez chifres, (mesmo animal mencionado em Ap 12:3 e 13:1 = Roma Império / Roma Cristã). Esta profecia indica que a nação simbolizada pela Grande Meretriz exerceria seu domínio e autoridade sobre os fragmentos do antigo império romano que compõem a 3ª fase do Império Romano, ou seja, a União Européia.

Apocalipse 17:4-5

  • * Nestes versos são apresentadas as características da Grande Meretriz; ela é rica, possui grande autoridade e influência sobre todas as nações. Também é apresentada uma nova identidade para ela, o Eterno a chama de " Babilônia " , a mãe das prostituições da terra. Isto por ela exercer uma influência tão perniciosa quanto a exercida por aquele reino.

Apocalipse 17:6

  • * Esta nação, a Grande Meretriz, engrandeceu-se tirando proveito de dois grupos distintos, os santos  (Judeus - Israel) e as testemunhas de Jesus  (nações cristãs).

Apocalipse 17:7

  • * O anjo explica ao apóstolo João a relação entre a mulher e a besta que a traz.

     Analisando Ap 17:2-6, encontramos um paralelo com Ap 14:8, pois em ambos é apresentado o mesmo símbolo para representar um reino muito poderoso e com grande autoridade e influência sobre todas as nações. Neste mesmo capítulo, Ap 14:8, é apresentado o período em que este reino representado por Babilônia, deverá perder a sua autoridade. Em Ap 14:6-8, verificamos que o anjo que anuncia a queda de Babilônia (a Grande Meretriz), vem logo após o anjo que anuncia o juízo do Eterno sobre todas as nações, línguas e povos. Portanto, basta compreender o que vem ser este juízo, para descobrir quando ocorrerá a queda de Babilônia, a Grande Meretriz.


Em um determinado dia, o Eterno executará o Seu juízo sobre todas as nações (Ap 14:6-7; 16:14; 17:11-14; 19:19-21), e para tal, todas devem estar preparadas. Para uma melhor compreensão do que vem ser esse juízo, vamos analisar algumas profecias relativas aos últimos dias.

Ezequiel 38:14-23

  • * O Eterno vindicará o Seu Grande Nome livrando a nação de Israel de poderosos inimigos que tentarão eliminá-la da face da terra; nesse livramento, será notório a todas as nações o poder do Eterno ao lado de Israel através de fenômenos naturais tais como terremotos, saraiva e outros meios conforme consta na profecia.

Ezequiel 39:7-8

  • * O Eterno afirma decisivamente que fará conhecido o Seu santo nome através do livramento do povo de Israel. E conforme o vs 8, Ele declara que aquele dia que virá, em que há de livrar Israel de poderosos inimigos, é o dia de que Ele tem falado.

Isaias 29:1-9; Zacarias 12:1-10 e 14:1-3 

  • * Nestes textos, são evidentes os juízos do Eterno sobre as nações que se levantarem contra Seu povo, Israel.

Apocalipse 9:13-15; 16:14; 17:12-14; 19:19.

  • * Estes textos deixam bem claro que o Grande Dia do Deus Todo Poderoso, é uma guerra que se levantará contra o Seu povo, a nação de Israel.

     Concluímos portanto que o juízo mencionado em Ap 14:6-7 e que antecede a queda de Babilônia se refere à intervenção que o Eterno fará em favor de Israel, punindo todas as nações que se levantarem contra Seu povo, na conhecida batalha do Armagedon, preparando assim o caminho para o cumprimento da profecia prefigurada pela Festa dos Tabernáculos. 

  • Que o juízo mencionado em Ap 14:6-7 não se aplica ao Dia da Expiação é bem evidente visto que o Dia da Expiação é um dia de juízo exclusivo para o povo de Israel, e não para as demais nações, como é o caso da profecia em Ap 14:6-7.

     * A queda de Babilônia que é apresentada em Ap 14:8, deverá ocorrer logo após os juízos do Eterno sobre as nações, e será melhor considerado mais adiante no estudo do capítulo 18 do Apocalipse.


Apocalipse 17:8

  • * A besta que era, já não é, mas que virá, é a mesma mencionada em Dn 7:7; Ap 12:3-4; 13:1, correspondendo ao antigo Império Romano que no período da Idade Média exerceu através da unificação religiosa centralizada pela ICAR, um domínio mundial. Esta besta, domínio religioso, perdeu sua autoridade e poder com o advento da Reforma Protestante ao quebrar a unidade espiritual das nações européias (Dn 7:11), destruindo desta forma o domínio europeu exercido pela ICAR. Hoje em dia, podemos observar como as nações européias, antigo Império Romano - besta de Ap 13:1, estão novamente se reunificando, crescendo em influência e autoridade sobre o mundo, fazendo reviver a antiga autoridade do Império Romano, não mais a nível militar como o faziam os imperadores, ou religioso como imposto pela ICAR, mas a nível político e econômico.

A Besta Que:

Era

  • * Império Romano que exerceu o seu domínio através de seus imperadores e da ICAR.

Não é

  • * Queda do Império Romano (domínio religioso Europeu exercido pela ICAR) com o surgimento da Reforma Protestante.

Mas que virá

  • Através da reunificação da Europa a nível político e econômico, vem se restabelecendo o antigo domínio e autoridade da antiga besta (Império Romano).


Apocalipse 17:9
     * Nesse texto podemos observar que a nação simbolizada pela meretriz, exerce seu domínio sobre diversas nações, nações estas que a sustentam e posteriormente darão origem a antiga besta, animal usado para representar o Império Romano em sua fase pagã (domínio militar exercido pelos imperadores) , e cristã (domínio religioso exercido pela ICAR). 

Apocalipse 17:10 
     * Quem são esses reinos mencionados neste verso, dos quais cinco já caíram, um existe, e outro ainda não chegou? Se a mulher esta assentada sobre diversos reinos, obviamente eles coexistem dando-lhe apoio e sustentação. Como então explicar que cinco já caíram, um existe, e outro ainda não chegou? Foi mencionado anteriormente que estes reinos dariam origem à antiga besta, (atual União Européia), provavelmente porque a profecia indica que embora eles existam, já não exercem mais o antigo domínio exercido no passado (Dn 7:11-12). Nos dias do apóstolo João os reinos do Egito, Assíria, Babilônia, Medo Pérsia e Grecia haviam perdido sua soberânia sendo então governados por Roma onde após sua queda, como podemos verificar na história da reforma protestante, os fragmentos do Império Romano deram origem a diversos reinos (Inglaterra, França, Espanha, Portugal, Alemanha, Etc...). 

Apocalipse 17:12 
     * Aqui é apresentado o surgimento de novas nações nos últimos dias, nações estas que se aliarão à besta, (União Européia), mas terão pouca duração. O interessante é que com a queda do Império Otomano e da URSS, houve o surgimento de novas nações, nações estas que se esforçam para ingressar na União Européia.

Apocalipse 17:13-14
     * Estas nações, (dez chifres), confiarão à besta (União Européia), o seu poder e autoridade para que sob o comando desta, façam a guerra (Armagedom) contra o Cordeiro (Nação de Israel), porém serão derrotados pela intervenção do Deus eterno que a combaterá através do Ungido, conforme profetizado em Ez 39:1-10; Zc 12:9; Is 29:6-8; Ap 16:17-21; Ap 19:19; Etc...


Apocalipse 17:15
     * Este texto nos fornece a interpretação das águas sobre as quais a meretriz esta assentada, elas representam povos, multidões, nações e línguas. Cabe-nos observar que, uma vez que a meretriz encontrava-se assentada sobre uma besta escarlate, Ap 17:3, estas águas mencionadas no vs 15, também são um símbolo da besta de sete cabeças e dez chifres.


Apocalipse 17:16-17
     * Após serem derrotados pelo Cordeiro, a besta, juntamente com seus aliados, se levantarão contra a Meretriz, EUA, talvez por ela não ter participado na luta contra o Cordeiro, e a devastarão, tornando-se então a besta, União Européia, o poder dominante até se cumprirem as palavras do Eterno.


Apocalipse 17:18
     * Este verso nos revela que a mulher  (Grande Meretriz), é a Grande Cidade (nação) que domina sobre os reis (nações) da terra. 

 

  • * * * Trazendo para os dias atuais que equivalem realmente aos últimos dias deste mundo, esta cidade só pode simbolizar uma nação que exerce domínio sobre todas as demais nações, como também as tem corrompido com suas filosofias e costumes devastadores da sociedade devido a sua ambição por riquezas e domínio. Não precisaremos ir muito longe para identificar quem poderá ser esta meretriz, pois hoje em dia, não existe nenhuma potência que preencha tais características a não ser os ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA DO NORTE.


* Portanto, concluímos que a Grande Meretriz , que também é chamada de Babilônia e Grande Cidade , tem um mesmo significado; representa a potência dominante nos últimos dias deste mundo, e que corresponde exatamente aos Estados Unidos da América do Norte = EUA.


Shalom !
 

Comentários

 

 

 

Contato

Conhecendo a Verdade

e_b_verdade@hotmail.com

Pesquisar no site

© 2012 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode