Apocalipse 21

Publicado em Chodesh Hachamisshi / 5775

Apocalipse 21

     O cosmo é um ambiente inóspito para a vida devido ao vácuo, radiações, poeira, gases, etc... ali existente, e para que a vida nele se desenvolva necessita estar em um ambiente protegido por forças que possam repelir ou matéria que absorva  todas as intempéries nele existente. 

  • Estudando a descrição da Nova Jerusalém apresentada nos versos 2, 3, 10 e 11, observamos que a mesma se enquadra no que foi comentado acima.

     De acordo com os versos 16 e 27 esta cidade encontra-se no interior de um cubo de dimensões gigantescas que se desloca pelo cosmo em direção a terra. Esse cubo contrariando a lei da aerodinâmica se desloca pelo cosmo sem alterar seu estado de inércia visto que no vácuo qualquer objeto não importando sua massa ou formato mantem seu estado de inércia constante a não ser pela colisão ou influência do campo gravitacional de algum corpo celeste, ou por seres inteligentes que o controlem. Estando a Nova Jerusalém no interior de um cubo é fácil entender porque no verso 23 é mencionado que ela não precisa da luz do sol nem da lua para iluminá-la.

     Sendo o cristianismo uma religião que teve sua origem com o povo judeu e como objetivo básico a conversão de todos os povos, seus dirigentes mesclaram ensinamentos contido na Escritura Hebraica com ensinamentos contido na mitologia Greco-romana para assim familiarizar os judeus com a mitologia Greco-romana e os gentios com os escritos hebraico.

     Ao ler Ap 21:6 observamos como seu autor procurou identificar o cristianismo com a crença dos gentios, pois sabemos que a Escritura Hebraica não menciona o termo água da vida, mas sim árvore da vida (Gn 2:9) e livro dos vivos(Sl 69:28). O termo água da vida tem sua origem na mitologia grega e o autor deste verso a adicionou à Nova Jerusalém para que a mesma se tornasse mais familiar aos gentios. Já a descrição da cidade descendo dos céus o autor do livro Apocalipse pode ter se inspirado em Dn 2:34-35, 44-45 tornando assim esse ensinamento mais familiar aos judeus. 

     Para descrever a Nova Jerusalém como sendo uma cidade toda de ouro (18) e adornada com pedras preciosas (19) conforme mencionada nos versos 16 a 22, o autor do texto se baseou no livro de Êxodo capítulo 25 ao 28 mesclando ensinamentos cristão de forma a identificar o cristianismo com a Escritura Hebraica dando-lhe assim credibilidade aos judeus, e ensinamentos mitológico para se tornar familiar aos gentios como podemos verificar nas seguintes características:

  • 1.      Ex. 26:18,20,22 Apresenta o tabernáculo com formato retangular enquanto Ap 21:16 apresenta a cidade santa com formato quadrangular semelhante a base das pirâmides.
  • 2.      Ex 28:9-21 As pedras preciosas aqui mencionadas simbolizam as doze tribos de Israel enquanto que em Ap 21:14,19-20, seus autores para dar credibilidade ao cristianismo apresentaram estas mesmas pedras como simbolizando os doze discípulos do cordeiro.
  • 3.      No tabernáculo existia apenas uma porta que dava acesso ao seu interior enquanto a nova Jerusalém possui 12 portas que dão acesso a seu interior Ap 21:12 e 21.

Fica evidente neste capítulo como seu autor procurou harmonizar a Escritura Hebraica com as crenças dos povos gentios visando a conversão dos mesmos.

 

Shalom!

 

Comentário

 

 

Contato

Conhecendo a Verdade

e_b_verdade@hotmail.com

Pesquisar no site

© 2012 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode