Dízimo

Revisado em Chodesh Há’Avivi /5776 – 1º Mês.

É o dízimo um ensino bíblico ?

  • Sim.      Nm 18:21 – 24, etc...

 É o ensino do dízimo aplicável à igreja cristã ?

  • Não.

    Quando Israel entrou na terra prometida, seu território foi dividido entre onze das doze tribos de Israel, ficando a tribo de Levi sem território por herança pois o Eterno a escolheu dentre as demais tribos para servi-Lo recebendo para isso o dízimo de todas as demais como sua herança. Nm 18:21 – 24; Ne 10:37 – 38.

  • De todos os dízimos recebido, os levitas deveriam retirar o dízimo (dízimo dos dízimos)) e entrega-lo ao sacerdote. Nm 18:26 – 28.

     Como podemos observar, por não ter recebido herança (território) como as demais tribos, o dízimo foi dado exclusivamente à tribo de Levi por herança entre as demais pelo serviço que prestavam ao Tabernáculo.

    Nos dias atuais o estado de Israel não esta dividido por território entre as respectivas tribos mencionadas no livro de Josué capítulos treze ao dezenove; o Tabernáculo com seus rituais também não existe. 

     Israel possui hoje um território comum a todos seus cidadãos, não fazendo distinção a que tribo venham pertencer. Portanto, se não existe uma herança específica para cada tribo, mas todas, inclusive os levitas, desfrutam do mesmo direito, como justificar esse ensinamento (devolução dos dízimos) entre os cristãos.

  • Os cristãos protestantes herdaram da ICAR uma doutrina humana, sem fundamento bíblico, na qual, segundo seus autores, Israel deixou de ser a testemunha do Eterno ao assassinar Jesus, ou seja, deixou de ser o povo escolhido, passando ela, ICAR, a assumir essa missão, de maneira que todas as profecias que se aplicam a Israel, terão seu cumprimento na igreja cristã.

     Ao herdar essa crença e se auto intitular o novo Israel, as igrejas protestantes também passaram a cobrar de seus seguidores o que julgavam, e julgam até hoje, ser um direito do antigo Israel; a entrega dos dízimos.

     Juntamente com essa doutrina trouxeram uma prática anti-bíblica na qual passaram a escravizar seus seguidores ao fazê-los trabalhar sem remuneração com o pretexto de estarem trabalhando para Deus e que seriam/serão ricamente abençoados por sua dedicação com bênçãos espirituais.

  • Na verdade essa conduta da igreja cristã em dar um tratamento inferior ao que era dado aos escravos àqueles que desempenham alguma das atividades em suas respectivas congregações (ancião, presbíteros, diáconos, tesoureiro, secretário, professor de Escola sabatina/dominical, etc..) não tem nenhum suporte bíblico. Aqueles (os escravos) pelo menos tinham o direito ao abrigo, alimento e vestuário mesmo que precário, enquanto que estes (membros que desempenham alguma atividade na igreja) nenhum direito possuem a não ser a promessa de bênçãos espirituais.

     Que essa prática não possui nenhum suporte bíblico podemos verificar em Nm 18:21 – 24, onde todo aquele que trabalhava no Tabernáculo, tinha o seu sustento e de seus familiares nos dízimos que eram entregues por Israel.
 

Outro detalhe importante que a igreja cristã deveria refletir era e continua sendo o seguinte:

  • Já que a igreja cristã se considera o novo Israel, ela deveria saber que não era Israel que recebia os dízimos, mas sim os entregava aos levitas, pois esta era a sua herança pelos serviços que prestavam ao Tabernáculo. Portanto, se considerarmos a igreja  (denominação) como sendo Israel, os levitas correspondem exatamente aqueles que desempenham as diversas atividades em seus templos (Ancião, presbítero, padres, bispos, tesoureiro, secretário, professor de escola sabatina/dominical, etc...), portanto as diversas instituições (hospitais, escolas, industrias, etc...) que formam essa denominação é que deveriam recolher e enviar os dízimos a suas igrejas (templos) a fim de que aqueles que neles trabalham possam ter o seu sustento.


Que a prática do dízimo era peculiar e exclusiva para Israel, é um fato notório em todas as Escrituras.

Que a Igreja Cristã se apropriou indevidamente e desvirtuou essa prática é um fato histórico; vejamos:
 

  • Se a igreja cristã recolhe os dízimos de seus membros para si, ela esta se colocando no lugar da tribo de Levi. Sendo assim, onde estão as demais tribos representadas no seguimento do cristianismo, e o que elas herdaram para então, de sua herança, retirarem os dízimos ?
  • Se a Igreja Cristã é a receptora dos dízimos e não a doadora, ela não poderá intitular-se como sendo o novo Israel visto que os dízimos eram recolhidos de Israel e entregue aos Levitas.


   No Novo Testamento não encontramos a prática da devolução de dízimos na Igreja Cristã primitiva, pois seus membros entendiam que os dízimos pertenciam aos Levitas pelo serviço que prestavam no Templo.

  • O ministério de Jesus como podemos observar nos relatos do evangelho de João 12:5 e 6, era mantido com doações voluntárias.
  • A Igreja Cristã primitiva era mantida através de doações. Atos 4:34 – 37; 5:1 e 2; I Corintios 16:1 – 4.

Conclusão:

     O sistema de dízimo adotado pela cristandade não tem nenhum suporte bíblico, ele é baseado puramente em conceitos teológicos que visam interesses pecuniário, estando portanto isento dessa prática todos aqueles que tornando-se cristão, temem e servem ao Eterno.

     Infelizmente, por envolver interesses pecuniário, os diversos teólogos cristãos procuram de toda forma possível coagir seus seguidores a devolve-lo, alegando risco de perda da salvação se assim não o fizerem, e para isso, servindo-se indevidamente do que esta escrito em Ml 3:8-9, compara a ladrão todo aquele que retém o dízimo. No entanto esses mesmos teólogos nunca apresentaram um versículo na história da Igreja Cristã Primitiva que comprove tal prática em seu meio.“ Na verdade eles sabem que tal texto não existe ”.
 

Se considerarmos devidamente o texto de Ml 3:8-9, quem é que deveria ser considerado ladrão ?

  • * O membro que biblicamente está isento da prática de devolução do dízimo ?
  • * Ou os líderes religiosos que além de extorquir dos membros de sua comunidade aquilo que biblicamente não lhes é devido, retém para si o salário que o Eterno determinou fosse dado para aqueles que trabalham no tabernáculo (igreja - segundo interpretação dos teólogos) ?


Nos dias atuais acontece o inverso do que o Eterno determinou no passado; vejamos:

  •  * O Eterno determinou que todos aqueles que O servissem no Tabernáculo tivessem o seu sustento e de seus familiares com os dízimos que eram entregues pelas tribos de Israel.
  •   * Na Igreja Cristã a maioria de seus membros precisam pagar para poder servir ao Eterno; apenas uma pequena classe (comparada com a totalidade de seus membros) se beneficiam com o que o Eterno determinou fosse para todos.
  •  * Alguns líderes preocupados em manter a instituição na qual são beneficiados, chegam ao cúmulo de só admitir nos diversos serviços de suas igrejas aqueles que pagam, ou seja, devolvem o dízimo (quem não for dizimista fica privado de exercer qualquer cargo), contrariando assim o que o Eterno determinou para Seu povo.


Importante:

  • Não recomendamos ninguém abandonar a igreja, formar um movimento interno ou uma nova denominação pois cremos essa não ser a vontade do Eterno; basta viver à altura do que temos aprendido e ser uma luz para aqueles que nos rodeiam na igreja que congregamos.

 

                                      saiba mais

 

 

 Comentários 

 

 

 

 


  

Contato

Conhecendo a Verdade

e_b_verdade@hotmail.com

Pesquisar no site

© 2012 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode