Gênesis 3:21

Revisado em Chodesh HaShelishi -  3º Mês  -  5776 

Vestimentas de pele para Adão e Eva / oferta de Caim e Abel

     Através da Torah podemos ter uma melhor compreensão do significado dos sacrifícios oferecido nos rituais que eram realizado nos tempos bíblicos e dessa forma obter uma melhor condição para entender, apreciar e engrandecer o tão grande amor, justiça e misericórdia do Deus eterno no trato com Sua criação. 

 

Analisemos o que é ensinado na Torah acerca do significado dos animais que eram oferecidos em holocausto nos tempos bíblicos.

  • * (*) A "Semichá" [pôr as mãos sobre o animal antes de sacrificá-lo], significava o mesmo que transferir a alma do sacrificador ao animal, através da mão. Deste modo, o sangue derramado do animal substituia a alma do dono do sacrifício, considerando-se como se ele próprio fosse sacrificado. Moisés transmitiu seu espírito de sabedoria a Josué, pondo as suas mãos sobre ele [Deut. 34,9] A expressão "ter a alma na palma da mão" foi repetida várias vezes na Bíblia [Juízes 12,3 - Sam.I 19,5 - Job 13,14]: <<Á minha alma está na minha palma sempre>>. [Salmos 109,119].
  • * Fazendo a "Semichá" sobre o sacrifício de pecado, de delito ou de holocausto, a pessoa devia confessar a falta pela qual trazia o seu sacrifício. Sobre o sacrifício de pazes e de gratidão, pronunciava palavras de louvores a Deus. Nos sacrifícios da Páscoa, de primogênitos de rebanho, de dízimos e rebanho e de aves, não se fazia o rito da "Semichá". Pág. 179  

     A Torah ensina que o animal oferecido como oferta pelo pecado simbolizava o próprio ofertante que de coração sincero comparecia voluntariamente ante a presença do sacerdote para consagrar sua vida (simbolizada pelo sangue do holocausto) ao Eterno para que Este o justificasse e resgatasse do poder da morte.

Com o exposto acima podemos compreender dois relatos escritos logo no início do livro de Gênesis; são eles:

  • Por que o Eterno vestiu Adão e Eva com pele de animais?
  • Por que o Eterno não se agradou com a oferta de Caim e no entanto se agradou com a de Abel?

 

Veste de pele de animais para Adão e Eva

O que o Deus Eterno procurou ensinar a Adão e Eva ao vesti-los com pele de animais ? 

  • * Considerando que nas Escrituras o sangue é utilizado para simbolizar vida (Gn. 9:4-6), e o animal oferecido nos sacrifícios o próprio ofertante (Lv. 4:28-30), o Eterno procurou ensinar a nossos primeiros pais que a única alternativa para que eles fossem redimidos de sua culpa, seria entregando-Lhe voluntariamente a vida que haviam perdido ao violarem Sua Lei.
  • * Ao vestir Adão e Eva com pele de animais, o Eterno procurou ensinar-lhes que aqueles animais cuja pele agora os vestiam, representavam eles; e assim como a vida daqueles animais (simbolizada pelo sangue) foram depositadas em Suas mãos ao serem sacrificados, tanto Adão quanto Eva precisavam consagrar-Lhe voluntariamente a vida para que Ele  possa justificar e resgatá-los no dia do juízo (Dia da Expiação).

 

Oferta de Caim e oferta de Abel

Por que o Eterno não se agradou da oferta de Caim mas se agradou da oferecida por Abel ? 

     Sendo o sangue utilizado nas Escrituras para simbolizar vida, e o animal oferecido em holocausto o próprio ofertante, a grande diferença entre o sacrifício de Abel e Caim se da ao seguinte fato:

  • * Abel reconhecendo que herdara de seus pais a tendência para o pecado, não somente sentia necessidade de consagrar, como realmente entregou, sua vida (simbolizada pelo sangue da oferta) ao Eterno, para que Este a guardasse e a resgatasse no dia do juízo (Dia da Expiação).
  • * Caim não se sentindo culpado pelo pecado cometido por seus pais, e portanto considerando-se isento de suas consequências, não reconhecia nenhuma necessidade de consagrar a vida ao Eterno para que Este a dirigisse mesmo quando foi advertido e orientado para que não permitisse que o pecado o dominasse. Contentou-se apenas em consagrar ao Eterno os frutos de seu trabalho, não sua vida.

     Embora possa parecer estranho e venha de encontro à teologia tradicional, a utilização nos tempos bíblicos de animais em holocausto servia para simbolizar (não substituir) os seres humanos em diversos eventos registrado nas escrituras. Vejamos alguns exemplos:

Gênesis 15:8-10, 17-18 

  • * No concerto com Abrão o Eterno utilizou animais para simbolizar o que deveria suceder a todo aquele que viesse violar a aliança ali estabelecida.

Daniel 8:20 e 21

  • * Nestes versos encontramos dois animais, um carneiro e um bode, simbolizando cada qual um rei e seu respectivo reino. 

Gênesis. 22:10-13

  • * O ato de oferecer o carneiro em holocausto ao Eterno, foi considerado pelo mesmo como Abraão consagrando o próprio filho Isaque; o sangue do cordeiro simbolizava a vida de Isaque. 


Ex. 12:21-22; etc... 

  • * O cordeiro pascal simbolizando o Messias.


Conclusão

  • Analisando o estudo aqui apresentado podemos compreender melhor a justiça e misericórdia do Eterno expressa em Ez. 18:20, e verificar nitidamente que Ele jamais violaria os preceitos por Ele estabelecido, ao contrário do que vem sendo ensinado pela teologia tradicional onde nos é dito que Jesus sofreu as consequências dos pecados da humanidade ao morrer em lugar dos pecadores, ensino este que além de violar os preceitos do Eterno expressos em Ez. 18: 20, e a imagem de um pai amorável, deturpa completamente o significado da páscoa, pois o sangue (vida) do cordeiro pascal (símbolo do Messias) não era apresentado ao Deus eterno como oferta pelo pecado, e nem sequer fazia parte nos rituais do santuário como é ensinado pela tradição cristã.

 


Shalom !

 

Comentários.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Contato

Conhecendo a Verdade

e_b_verdade@hotmail.com

Pesquisar no site

© 2012 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode