Perguntas que os teólogos não querem responder

Revisado e corrigido em Chodesh HaShevi’i      5777 – 7º Mês
 

1 --  Justificaria o Eterno Sua misericórdia para com a humanidade praticando um ato de injustiça ao condenar um inocente para salvar os culpados?

Re:

"O Eterno jamais cometeu ou cometerá um ato de injustiça punindo um inocente no lugar ou mesmo juntamente com o culpado. Tal declaração é uma ofensa ao caráter do Altíssimo".

Gn. 18:23-33; Ex. 32:30- 33; Ez. 18:20

Comentários

Carol  -  02/12/2013
  • Se Deus não puni o inocente com o culpado porque muitos inocentes morrem nos diversos eventos que ocorrem pelo mundo?

                        Re:

  • Nem todos os eventos que ocorrem ao redor do mundo são juízos do Eterno; muitos dos acidentes noticiado pela imprensa nacional e internacional ocorrem em virtude da violação de normas de segurança, violação das leis do meio ambiente e catástrofes como terremotos, vulcões, etc...
  • Agora nos juízos que o Eterno trouxe sobre os antediluvianos e as cidades de Sodoma e Gomorra podemos afirmar que nenhum inocente pereceu.

Equipe conhecendo a verdade.

 

 

2 --  O que devemos fazer para que nossos pecados sejam perdoados?

Re:

Embora os teólogos apresentem pelo menos três caminhos, cabe a cada um individualmente decidir qual deles trilhar. Mas uma coisa é certa: o Eterno só será encontrado em apenas um deles.

 

1 –   Predestinação

2 –   Se justificar em um homicídio cometido no primeiro século da era comum.

        Gn 9:6; Dt 12:31; Nm 35:33; João 19:1-33.

3 –   Aceitar o que o Eterno determinou e foi repetido por Jesus em Mt 19:16-17.

        Dt 4:1-2, 12:32; Ez 18:21-23. 

 

 

Comentários

 

 

 

 

 

3 --  Quem deificou o messias?

Re:

Marcião (85 – 160 )

Mestre cristão gnóstico de grande influência em meados do segundo século que desejando acabar de uma vez por todas com todo e qualquer vinculo dos cristãos com os judeus, rejeitou o Deus de Israel e todos escritos hebraico, adotando em seu lugar o messias como o deus dos cristãos e apenas o evangelho de Lucas e dez epístolas de Paulo como o cânon cristão. Fundou o marcionismo cuja igreja prosperou ao ponto de equiparar com a igreja tradicional e serem fechadas pelos primeiros imperadores cristãos.

 

Ireneu (130 – 202)

Influente bispo e sucessor de Policarpo (bispo que foi discípulo de João, o último dos apóstolos de Jesus a morrer), ele criou a doutrina da salvação na qual o messias deveria ser humano e ao mesmo tempo divino para que assim pudesse unir a humanidade com a divindade, única forma pela qual a humanidade poderia alcançar a salvação.

 
 
 
 

 

 
 

4 --   O sábado é um período de 24 ou 48 horas?

Re:

É um período de 24 horas.

  • Portanto se ele foi dado a Israel (Ez  20:12) precisamos entender que o sábado bíblico (sétimo dia da semana) inicia-se no pôr do sol do sexto dia  e finda-se ao pôr do sol do sétimo dia em Jerusalém e não das zero horas de sexta feira a zero horas de sábado como é considerado de uma maneira geral, ou mesmo do pôr do sol de sexta feira ao pôr do sol de sábado como observado por muitos religiosos nos dias atuais.
  • Quando ocorre um evento no território brasileiro, toda e qualquer nação que desejar acompanhar o referido evento precisará se ajustar ao calendário e o fuso horário do Brasil. Como exemplo podemos mencionar o Japão cuja diferença no fuso horário é de doze horas. Se no Brasil estiver programado um evento para uma quarta feira as 22:00h, no Japão este evento deverá ser transmitido as 10:00h de quinta feira horário local isto porque enquanto no Brasil são 22:00h de quarta feira, no Japão já é 10:00h do dia seguinte.  
  • O mesmo se dá em relação ao sábado bíblico visto o mesmo ter sido dado a Israel todos os eventos por ele prefigurado e que ainda não se concretizaram, terão o seu cumprimento em um dia de sábado em conformidade com o calendário e fuso horário de Israel.
 
Importante:

Todos os povos que alegam observar o sábado bíblico (sétimo dia da semana) de acordo com o fuso horário regional, embora sejam sinceros de coração, na verdade não estão observando o quarto mandamento da Lei de Deus.

https://www.profeciasbiblica.com/estudo/o-sabado/

 

Comentários

 

 

 

5 --   Quando se deu a expulsão de satanás dos céus?

  •  Re:

Sendo Israel (mulher mencionada em Apocalipse 12:1-2) a nação na qual seria gerado o Messias e quando foi expulso dos céus satanás perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão (Messias), sendo ela a nação de Israel, isso significa que satanás só foi expulso dos céus após a unção do Arcanjo Miguel ser reconhecida por 2/3 da hoste dos seres extraterrestres, e não a milhares de anos como vem sendo ensinado pela teologia tradicional. Ap 12: 13   

https://www.profeciasbiblica.com/estudo/apocalipse-12/

 

 

Comentários 

 

 

 

 

6 --   O holocausto apresentado pelo transgressor era uma cabra e não um cordeiro? O que isso significava? Levítivo 4:28-29 e 32-33.

  •  Re:

Nos dias de Moisés o ato de colocar as mãos sobre a cabeça do holocausto significava o ofertante simbolicamente transferir sua vida para o animal de forma que aquele animal seria considerado como se fosse o próprio ofertante. Quanto ao ato de imolar o holocausto e entregar o sangue do mesmo ao sacerdote significava que somente o transgressor de maneira voluntaria poderia entregar sua vida (simbolizada pelo sangue) ao sacerdote para que este a consagrasse ao Eterno reservando-a para o Dia da Expiação quando então suas transgressões serão justificada e sua culpa perdoada pelo Deus eterno que a imputará ao originador do pecado, muito diferente do que vem sendo ensinado pela igreja cristã onde, segundo seus teólogos, o transgressor ao colocar as mãos sobre a cabeça do holocausto transferia simbolicamente sua culpa para o animal inocente (símbolo de Jesus segundo os teólogos) que deveria morrer em seu lugar satisfazendo assim os reclamos da lei. Seria então o Messias a cabra de Deus que tira o pecado do mundo?

  • Mas que lei é essa já que a lei estabelecida pelo Eterno não admite em hipótese alguma a morte do inocente em lugar do culpado?  Dt 4:1-2, 12:32; Ez 18:20;

No caso específico de Levítico 5:14 – 6:7   o holocausto apresentado era um cordeiro e à semelhança dos holocaustos mencionados em Levítico 4:28-29 e 32-33 o sangue do mesmo não era levado para o interior do tabernáculo mas sim colocado no altar do holocausto localizado no pátio do tabernáculo. Devemos lembrar também que este holocausto não se tratava de uma oferta pelo pecado.

 

 

 

 

7 --   Como explicar o ressurgimento da Nação de Israel?

  •  Re:

Devido o ocorrido com os judeus na primeira e segunda Guerra Mundial foi criado o Estado de Israel em parte de seu antigo território de onde foram expulsos pelos romanos (Dn 8:24) e para onde foram repatriado judeus de todo canto da terra que para lá se dirigiram em aviões (asas da grande águia) isso em cumprimento da profecia de  Ez 37:16-22 e Ap 12:13-14.

 
 
 
 
 
 

 

 

8 --     Quem é a videira verdadeira?

  • Re:

Nas Escrituras Hebraica (Velho Testamento) o Eterno declara que Israel é Sua vinha. Isaias 5:1,7.

Nas Escrituras Cristã (Novo Testamento) seus autores declaram que Jesus é a videira verdadeira. Joáo 15:1,5.

Conclusão:

  • Israel é a videira verdadeira como declarado pelo Eterno e não Jesus conforme ensinado pelos teólogos da cristandade. Cada qual deve decidir o caminho que vai seguir.
  • Dois grupos caminham juntos respeitando-se mutuamente; um tendo em Israel a videira verdadeira e o outro em Jesus a referida videira. Mas um dia serão separados por toda a eternidade, nunca mais se encontrarão pois um deles deixará de existir para sempre. Em qual deles você se encontrará.  

 

 
 
 
H.S  23/02/2014
  • Sabemos que o Novo Testamento foi elaborado no mesmo período em que os teólogos estavam criando as doutrinas fundamentais da igreja cristã e que para dar sustentação a essas doutrinas realizaram acréscimos e modificações nos textos originais tornando seus ensinos contrário aos encontrados no Velho Testamento visto que estes estão baseados nos ensinos dados pelo Eterno a Israel enquanto que aqueles na filosofia e mitologia grega.
  • Já o texto de João aqui analisado trata-se de uma criação de seus autores ou mesmo distorcido pelos tradutores com vistas a dar sustentação a seus ensinos, o que não é possível definir pois o texto original nunca foi encontrado. Mas ao aplicar este ensino ao que esta escrito em Isaias 8:20 fica claro que Jesus jamais teria pronunciado tais palavras. 

 

9 --   O que significa ser alimentada fora da vista da serpente (Ap 12:6)?

  •  Re:

Em profecia o termo serpente aponta para satanás e em Apocalipse 12:6 é indicado o período da história em que ele atuando através do Império Romano exerceu seu poder e autoridade sobre as nações, e em especial sobre o povo judeu que devido a destruição do templo no ano 70 EC, a destruição de Jerusalém e expulsão dos judeus da Judéia no ano 135 EC pelos romanos, muitos se refugiaram em Babilônia cujo domínio os romanos perderam para os Partas, ficando assim esses judeus livres do jugo romano (fora da vista da serpente) e de onde elaboraram os escritos que mantiveram (alimentaram) as colônias judaicas por todo mundo mantendo sua unidade mesmo na diáspora, cumprindo-se assim a profecia de Apocalipse 12:6.

 
 
 
 

 

 

10 --   Quem é o senhor do sábado?

  •  Re:

O Deus eterno.

  • Diferentemente do Novo Testamento que ensina ser o sábado criado por causa do homem e que Jesus é o senhor do mesmo, em todo Velho Testamento encontramos a ênfase de que o sábado pertence ao Eterno ( Gn. 2:2-3; Ex. 20:10; Ez. 20:12 e 20) e que o mesmo foi dado a Israel não como uma propriedade mas como um sinal que o identificaria perante todas as nações como o povo escolhido a quem o Eterno confiou Sua Lei e Estatutos para que através de seu testemunho todas as nações pudessem ser abençoadas com o conhecimento do Deus Altíssimo. Gn. 12:3
  • O sábado nos ensina que para conhecer ao Deus eterno precisamos recorrer aos ensinos que Ele confiou a Israel e não aos ensinos e costumes das demais nações como se deu com os teólogos dos primeiros séculos da igreja cristã que recorreram basicamente a filosofia grega para dar forma e sustentação a seus ensinos dando assim origem a diversas doutrinas e rituais que se tornaram a base e fundamento da igreja cristã.
  • O sábado foi feito para Deus e não para o homem Gn 2:1-3; Ele deu o mesmo a Israel (Ez 20:12) como sinal perante todas as nações para que todos reconhecessem em Israel a Sua testemunha através de quem unicamente deveriam buscar o conhecimento do Deus eterno. 
 

 

11 --    Rejeitou o Eterno a Israel para que não fosse mais Sua testemunha?

  •  Re:

Não; Israel jamais foi ou será rejeitado.

  • Dt 4:20    -     Povo hereditário
  • Dt 4:26-31  -  O Eterno jamais violará o concerto feito com o patriarca Abraão.
  • Dt 7:6-9   -    O Eterno jamais violará o concerto feito com o patriarca Abraão.
  • Jr 31:35-37 - O Eterno não rejeitou nem rejeitará a Nação de Israel.
 

 

12 --    O que significa o termo “sem defeito” no holocausto mencionado em Lv 4 ?

  •  Re:

Sabemos que nos holocaustos mencionado no capítulo quatro de Levítico o animal simbolizava o próprio ofertante e o termo “sem defeito” ali mencionado aplicava-se a pureza e sinceridade de coração com que o ofertante deveria comparecer na presença do Eterno como se pode entender em Deuteronômio 4:29; Ezequiel 33:14-16.

 
 

 

13 --    O que significa ferir a cabeça da serpente e ferir o calcanhar da descendência da mulher mencionada em Gn. 3:15?

  •  Re:

O ferir o calcanhar da descendência da mulher remonta ao episódio do holocausto nazista quando através da Alemanha satanás tentou eliminar os judeus de cada território que era conquistado pelos nazistas que tinham por objetivo fundar um novo império universal.

Já o ferir a cabeça da serpente refere-se a perseverança do povo judeu em manter viva a lei e estatutos do Eterno, testemunhando assim perante todas as nações de Sua justiça e misericórdia para com toda criação ao justificar e abençoar aqueles que Lhe são fiéis e punir os infiéis ao aplicar a sentença da lei sobre os mesmos.  

Devemos lembrar que é através do povo judeu que o conhecimento do Deus eterno é revelado a todas as nações mesmo nos dias atuais.

 

 

 

14 --    É a aspersão do sangue sobre o povo, sobre Arão e seus filhos ou sobre as vestes de Arão e seus filhos um ato instituído pelo Eterno nos rituais que Ele estabeleceu com Israel para purificação do pecado?  

  •  Re:

Não!

  • Na Tanah (Velho Testamento) sangue simboliza vida (Lv 17:11) e no ritual do santuário o ato de aspergi-lo diante do véu (símbolo da hoste celeste) e sobre o propiciatório (símbolo do trono do Eterno) simbolizava o Sumo sacerdote apresentando ao Eterno perante a hoste celeste o nome de todos que se consagraram para que pudessem ser justificados ter a culpa removida e atribuída ao originador do pecado.  Lv 4:5-6; 16:14-15.
  • Já o sangue mencionado em Ex 24:3-8 simbolizava toda congregação confirmando o concerto que o Eterno estabelecera com Israel onde o sangue ali aspergido sobre o povo simbolizava que a vida (existência) de Israel estaria vinculada à fidelidade ao concerto ali estabelecido.
  • Embora o concerto fosse coletivo a fidelidade ao mesmo seria de responsabilidade individual de maneira que somente o infiel seria punido e não a coletividade como um todo.
  • Este método para confirmação de um concerto assemelha-se ao que foi estabelecido entre o Eterno e Abraão (Gn 15:6-21) onde, segundo o costume da época, aqueles animais que foram partidos simbolizava o destino que teria aquele que violasse o concerto ali estabelecido.

Quanto ao sangue aspergido sobre Arão e seus filhos, sobre as vestes de Arão e de seus filhos como também colocado na ponta da orelha direita, no polegar direito da mão e no polegar direito do pé de Arão e de seus filhos, simbolizava uma consagração total da vida ao Eterno, não se desviando de Seus caminhos, fazer a Sua vontade e ouvir seus ensinamentos. Lv 8:22-24 e 30.

  • Em todos os relatos acima podemos observar nas Escrituras Hebraica (Velho Testamento) que o sangue nunca foi usado nos rituais do santuário para qualquer ato de purificação de pecado, mas tão somente para simbolizar um ato de consagração da vida do adorador ao Deus eterno.
  • O derramamento do sangue com o objetivo de purificar o pecador teve sua origem na cultura greco-romana onde podemos encontra o ritual do taurobolium cujo adepto deveria receber um banho de sangue para se purificar.

" A mais surpreendente destas últimas era o taurobolium, relacionado de início com o culto de Cibeles e que depois se generalizou; no taurobolium, o devoto era colocado em um buraco e banhado com o sangue de um touro sacrificado sobre ele. O devoto surgia daquele rito em um estado de purificada inocência". https://www.historia.templodeapolo.net/civilizacao_impressao.asp?Cod_conteudo=245

  • Dai as expressões encontradas no Cânon Cristão (Novo Testamento) tais como ... isto é o meu sangue...(Mt 26:28); .... o sangue de Jesus nos purifica .... (I Jo 1:7) ; .... lavar  as vestiduras no sangue do cordeiro ...(Ap 7:14), terem  sido colocadas para facilitar a conversão dos cidadãos greco-romanos que já estavam familiarizados com esse costume no culto a suas divindades.

 

 

 

Contato

Conhecendo a Verdade

e_b_verdade@hotmail.com

Pesquisar no site

© 2012 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode